top of page
  • Foto do escritorNara Brito Barro Advogada

Engravidei durante período do aviso-prévio indenizado ou trabalhado. Terei estabilidade provisória?

Atualizado: 8 de jan.


A empregada grávida que foi contratada por prazo indeterminado ou em contrato de experiência tem direito a estabilidade provisória no emprego desde a concepção do bebê até 05 meses após o seu parto. Ou seja, não pode perder seu emprego e nem ser dispensada sem justa causa durante esse período. Esse é o entendimento majoritário da jurisprudência atual do país.


Se ela quiser sair do emprego durante esse período, o certo, é buscar de forma prévia uma orientação jurídica com uma advogada trabalhista, pois, se tomar essa decisão, abrirá mão desse direito a estabilidade provisória no emprego e não receberá a indenização substitutiva.


A concepção do bebê, nesses casos, deve ocorrer ainda durante o período do contrato de trabalho, seja dentro do aviso-prévio trabalhado ou indenizado, pois esse periodo é considerado como período do contrato de trabalho para fins de assegurar a estabilidade provisória da empregada gestante.


Pedi demissão e descobri que estava grávida ou engravidei durante o período de 30 dias aviso-prévio trabalhado. Tenho direito a estabilidade provisória e ser reintegrada no emprego ou receber a indenização substitutiva?


Sim, mesmo tendo pedido demissão, se a empregada ficou grávida durante o período do aviso-prévio trabalhado a empregada gestante terá direito a ser reintegrada ou requer por meio de ação trabalhista a indenização substitutiva a contar do dia posterior ao último dia trabalhado até 05 meses após o parto do seu filho.


Se for reintegrada, receberá os salários desde o dia posterior ao último dia de trabalho até o dia anterior a sua reintegração, e voltará a exercer a mesma função anterior, a não ser que a função tenha contato com agentes químicos e insalubres, em que será reintegrada em função saudável ou será afastada com o recebimento de salários.


Fui mandada embora do emprego sem justa causa e e descobri que estava grávida ou engravidei durante o período de 30 dias aviso-prévio trabalhado ou aviso-prévio indenizado. Tenho direito a estabilidade provisória e ser reintegrada no emprego ou receber a indenização substitutiva?


Sim, mesmo tendo sido dispensada sem justa causa, se a empregada ficou grávida durante o período do aviso-prévio trabalhado ou indenizado (30 dias a contar da notificação de dispensa), então, a empregada gestante terá direito a ser reintegrada ou requer por meio de ação trabalhista a indenização substitutiva a contar do dia posterior ao último dia trabalhado até 05 meses após o parto do seu filho.


Se for reintegrada, receberá os salários desde o dia posterior ao último dia de trabalho até o dia anterior a sua reintegração, e voltará a exercer a mesma função anterior, a não ser que a função tenha contato com agentes químicos e insalubres, em que será reintegrada em função saudável ou será afastada com o recebimento de salários.


Importante a empregada gestante sempre consultar uma advogada trabalhista para avaliar a situação de forma detalhada, principalmente, se a empregada não tem a intenção de ser reintegrada.


Caso tenha ficado alguma dúvida não deixe de me mandar uma mensagem por escrito no WhatsApp pelo contato (11) 91113-1133 (Dra. Nara - Advogada Trabalhista).

• Te ajudamos com o conteúdo? Espero que sim!!! Clique no coração abaixo caso tenha ajudado.



Comments


bottom of page